A Importância do Dissipador de Energia em uma Linha de Vida Tipo C



Muito se discute no meio prevencionista sobre a importância, obrigatoriedade ou não de se instalar nos sistemas de ancoragem tipo C esses acessórios, para dirimirmos essas dúvidas temos que refletir sobre os impactos que uma sistema como esse recebe quando de uma queda de trabalhador, pois um dissipador tem a capacidade de servir como um amortecedor das cargas que serão geradas na linha e que irão diretamente para os pontos de ancoragem onde a mesma estará instalada, como podemos ver no quadro abaixo:

NUMERO DE USÚRIOS

PONTOS INTERMÉDIARIOS

TAMANHO DA LINHA

COM ABSORVEDOR

SEM ABSORVEDOR

2

1

12M

1488kgf

1790kgf

2

2

18M

1359kgf

1568kgf

2

4

30M

1200kgf

1330kgf

2

7

50M

1050kgf

1129kgf

Considerando que temos que adotar por normativa o fator de segurança FT=2, é importante que as cargas geradas nos sistemas, sejam controladas, até porque muitos componentes não tem capacidade superior a 3000kgf, e no caso dos exemplos de 12m e 18m já estariam fora de padrão, comprometendo assim a legalidade do sistema.

Quanto menor for o tamanho da linha, maior será a carga gerada no sistema e um dissipador de energia nesse caso é fundamental para amortecer as cargas geradas; de outro lado temos as cargas geradas sobre o trabalhador, que por norma não pode ultrapassar 600kgf, ai entra em cena o absorvedor de energia do talabarte ou do trava quedas retrátil.

Se um sistema de ancoragem for bem dimensionado, a linha e o equipamento de proteção forem dotados de dissipador e absorvedor de energia, com certeza a integridade do sistema e do usuário estarão garantidos, com a vantagem de oferecer além da proteção, uma vida útil maior ao sistema de ancoragem.

A ajuda de um especialista na área para ajudar na escolha do melhor equipamento e do projeto que melhor atenda a sistemática de trabalho, são fatores fundamentais no desempenho do sistema.

CARLOS ALBERTO G. DIAS

TST E BOMBEIRO CIVIL